Portuguese English Spanish

A vida só tem sentido quando serve de preparação para vidas melhores.

A moral não é produto do meio social, mas da consciência.

Toda a beleza espiritual do passe espírita provém da fé racional no poder espiritual.

O materialista não é livre, pois está preso à ideia fixa de que tudo é matéria.

A Educação Espírita visa o desenvolvimento pleno do indivíduo, considerando-o um ser imortal e cósmico.

Mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos.


 

heculano microfone

J.Herculano Pires foi comunicado que Roberto Montoro, proprietário da Rádio Mulher, pretendia colocar na programação da emissora um programa espírita semanal, com a duração de uma hora. E mais: desejava fosse o programa estruturado e apresentado por ele.  O apóstolo de Kardec aceitou o convite, pois lhe fora assegurado que teria a mais ampla liberdade, “podendo tratar do espiritismo em todos os seus aspectos, sem restrição, e responder a qualquer pergunta” dos ouvintes.

No Limiar do Amanhã ia ao ar aos sábados à noite e obteve sucesso imediato em São Paulo. A Rádio Mulher passou a reprisá-lo aos domingos, pela manhã. A Rádio Morada do Sol, de Araraquara e a Rádio Difusora Platinense, de Santo Antônio da Platina, no Paraná, retransmitiram-no, também, com expressiva audiência. O vigoroso programa prestou inestimável serviço à doutrina espírita durante três anos e meio. Herculano Pires, obviamente, jamais aceitou da Rádio Mulher qualquer espécie de remuneração.

Nesta seção do site, você vai poder ouvir os áudios originais dos programas, e também ler o texto  integral da transcrição.

 AGRADECIMENTOS

A Fundação Maria Virgínia e J. Herculano Pires agradece a todos os que colaboraram com a criação do acervo desta seção, doando gravações dos programas, em especial a Aldrovando Góes Ribeiro, Maria de Lourdes Anhaia Ferraz e Miguel Grisólia.

 

 

No Limiar do Amanhã: um desafio no espaço.

 

A primavera está chegando ao fim. Dia 21 começará o verão. Esta foi a primavera da educação espírita. O Instituto Espírita de Educação teve a oportunidade de avançar para uma nova fase; seu prédio próprio, mas insuficiente da Rua Guarará 140, foi vendido para que um edifício novo e apropriado seja construído em amplo terreno no Itaim Bibi. Vamos ter um educandário espírita à altura das necessidades urgentes da nossa Terra, mas para isso é necessário que todos nos convençamos de que São Paulo, a metrópole que nasceu do colégio de Nóbrega e Anchieta, precisa cumprir a sua missão educacional na era espírita.

 

Essa primavera de 1972 iniciou-se com o lançamento do segundo número da Revista Educação Espírita e vai encerrar-se com o lançamento do terceiro número. Duas florações primaveris que se derramam do planalto de Piratininga para todo Brasil e para o mundo. A Revista Educação Espírita é a primeira publicação especializada em pedagogia espírita que aparece na Terra, marcando mais uma vez a população pioneira de São Paulo. Seu primeiro número foi dedicado ao ano internacional da educação e teve a repercussão mundial. O segundo número foi dedicado ao sesquicentenário da independência do Brasil e mereceu aplausos e elogios dos meios oficiais. O terceiro número, que sairá nesses dias, é dedicado ao natal e nos revelará o sentido educativo do cristianismo e do espiritismo, tendo à frente o mestre dos mestres, o professor por excelência que é Jesus de Nazaré.

 

O ato educativo é um ato de amor, acentuou Pestalozzi, mestre de Kardec. Só a educação reformará o mundo, sustentou o codificador do espiritismo. A obra de redenção personificada em Cristo é obra de educação, disse Vinicius, primeiro diretor do Instituto Espírita de Educação. Todo o nosso interesse deve estar voltado nesta hora de transição para o problema educacional. A educação espírita é a solução para o impasse atual da educação em todo o mundo. Só o espiritismo pode resolver os graves problemas educacionais desta fase da evolução terrena. Por isso, grandes pedagogos contemporâneos repetem hoje em seus tratados o pensamento de Pestalozzi. O ato educativo é um ato de amor.

 

Amigos ouvintes, aguardem o próximo lançamento do terceiro número da Revista Educação Espírita. Leiam e divulguem essa publicação pioneira por todos os meios possíveis. Não basta fazer a caridade material, é preciso fazer, sobretudo, a caridade espiritual, ensinar a verdade, educar as novas gerações na compreensão espírita da vida e do mundo. A Revista Educação Espírita não é objeto de comércio. Fundada por um grupo de professores espíritas e apoiada pela editora Edicel, que se incumbiu do seu lançamento, não tem finalidades lucrativas. Ajude a sua sustentação para que a luz da verdade afugente da Terra as trevas da ignorância.

 

No Limiar do Amanhã, um programa desafio. Produção do Grupo Espírita Emmanuel, transmissão número 92, segundo ano. Direção e participação do professor Herculano Pires. Esse programa é transmitido todas as semanas neste dia e neste horário pela Rádio Mulher de São Paulo 730khz, pela Rádio Morada do Sol de Araraquara 640khz e pela Rádio Difusora Platinense de Santo Antonio da Platina, Paraná, 780khz. Todas as semanas neste dia e neste horário.

 

Faça as suas perguntas por carta ao programa No Limiar do Amanhã, Rua Granja Julieta, 205, travessa da Avenida Santo Amaro, em São Paulo. Faça perguntas, não relatórios. Durante a semana no horário comercial, faça as suas perguntas pelos telefones 269.4377 ou 269.6130. Aguarde as respostas pela Rádio Mulher 730khz em São Paulo, pela Rádio Morada do Sol 640khz em Araraquara, e pela Rádio Difusora Platinense 780khz, Santo Antônio da Platina, estado do Paraná. Todas as semanas neste dia e neste horário.

 

Perguntas e respostas.

 

Locutor - Professor, o ouvinte Renato Moretti, que ouve assiduamente o nosso programa, nos escreve novamente e pede que o senhor o ajude a aperfeiçoar os seus estudos da doutrina espírita, dando-lhe de presente o livro “A Mediunidade Através dos Tempos”. O ouvinte diz também em sua carta que admira muito o programa e faz sempre uma prece a Deus e aos bons espíritos para que nunca deixe de ser levado ao ar.

 

J. Herculano Pires - Agradecemos ao prezado ouvinte Moretti o seu interesse pelo nosso programa, a sua atenção, as preces, as boas vibrações que tem feito em nosso favor. Realmente é necessário que todos os nossos ouvintes colaborem conosco também nesse plano das vibrações mentais e espirituais. No tocante ao livro que o senhor Moretti nos pede, não conhecemos nenhum livro com esse título. Acreditamos que tenha havido talvez um engano, pois o livro que conhecemos e que trata da mediunidade através dos tempos, tomando a mediunidade nos tempos primitivos e fazendo o seu desenvolvimento através das civilizações agrárias e depois das civilizações orientais, da civilização clássica greco-romana e assim até os nossos dias, é o livro “O Espírito e o Tempo”, lançamento da editora Edicel. O senhor Moretti ganhou esse livro, pode procurá-lo como um presente de irmão que lhe é dado pelo programa No Limiar do Amanhã e pela editora Edicel. Pode procurá-lo no escritório da Rádio Mulher, à Rua Barão de Itapetininga, 46, 11º andar, conjunto 1.111, a partir de segunda-feira no horário comercial.

 

Pergunta nº 1: Homossexualidade

 

Locutor - Professor, o ouvinte Alberto Andrade, de Araraquara, faz as seguintes perguntas: primeira, como é encarado no espiritismo o problema da homossexualidade, tanto entre os homens como entre as mulheres?

 

J. Herculano Pires - Esse problema é encarado no espiritismo como naturalmente deve ser por todas aquelas doutrinas que se pautarem pelo raciocínio lógico: é encarado como um processo de desequilíbrio. No desenvolvimento das criaturas, particularmente das criaturas humanas que são dotadas do livre arbítrio e necessitam realizar experiências variadas para realmente aprenderem como se portar na vida, é evidente que existem fases de desequilíbrio, de perturbação em que os espíritos se projetam, por assim dizer, em situações bastante difíceis. A homossexualidade, tanto entre homens como entre mulheres, é encarado pelo espiritismo, portanto, como um desequilíbrio no processo evolutivo do espírito que deve e precisa ser corrigido.

 

Download Pergunta nº 2: Homossexualidade crescente no mundo

 

Locutor - Segunda pergunta do nosso ouvinte: qual a sua explicação para o índice de homossexualismo que na atualidade sobe de maneira incontrolável?

 

J. Herculano Pires - Antes de mais nada devemos nos lembrar de que estamos numa fase de transição da vida terrena. Os espíritos anunciaram no tempo de Kardec que já se iniciava naquela época, em meados do século XIX, o processo de transformação da Terra, de um mundo de provas e expiações para mundo de regeneração. Na escala dos mundos que figura no Livro dos Espíritos, nós encontramos a colocação de vários tipos de mundo habitados por humanidades em diferentes graus de evolução. O nosso mundo vai ser promovido na escala dos mundos, vai passar para um plano superior. Ora, todo processo de transição num organismo, e particularmente num organismo do tamanho gigantesco de um mundo, de um globo, como a terra, por exemplo, todo processo dessa natureza sofre desequilíbrios também no seu desenvolvimento. Assim sendo, é claro que esta fase de transição da Terra acarreta desequilíbrios que devem ser estudados, observados pelas criaturas que se incumbem em orientar as multidões. O processo evolutivo exige uma espécie de peneiramento de tempo em tempo. Ao passar de um mundo de provas e expiações para mundo de regeneração, a nossa Terra será desprovida de uma grande parte da sua humanidade: daquelas criaturas que não podem acompanhar a evolução dos que continuarão na Terra para o desenvolvimento de um mundo melhor. Essas criaturas que não podem acompanhar a evolução serão removidas, de acordo com o espiritismo, para outros mundos em que poderão continuar a sua evolução, entrosando-se em humanidades ainda em desenvolvimento, semelhantes ao que esteve a Terra até agora. Este fato, portanto, faz com que as pessoas, as criaturas humanas, os espíritos encarnados sintam diante da atração do mundo melhor que vem vindo e ao mesmo tempo da impossibilidade de acompanhá-los, sintam-se desequilibrados em vários sentidos. Naturalmente nas criaturas mais tendentes para as paixões puramente materiais, os desequilíbrios se manifestam nesse plano. Além disso, devemos notar que há também um fenômeno a ser considerado, o do aumento populacional da Terra. Nunca a Terra possuiu tanta gente, tantos habitantes como possui hoje. O aumento foi gigantesco, violento, aceleradíssimo, e também este aumento faz parte do processo de transição. Os espíritos explicaram isto desde os primeiros momentos dizendo que durante a fase de transição muitas criaturas que abusaram do livre arbítrio, que ficaram na vida espiritual, no espaço, em estados, situações em que viveram há anos e há séculos passados aqui na Terra sem voltarem à reencarnação são agora forçados a se reencarnar. Então essas criaturas estão se reencarnando em massa e trazem naturalmente também perturbações para a vida terrena. O aumento da população acarreta naturalmente o aumento dos desequilibrados, que vêm naturalmente misturados com esse acréscimo de população. Isto também deve ser levado em consideração. Por outro lado, devemos nos lembrar também de que estamos numa fase de queda moral. Há uma quebra dos valores morais no planeta, em todos os momentos de transição da Terra houve isso. Basta lembrarmos, por exemplo, do fim do período clássico greco-romano, quando houve a depravação completa no Império Romano. Podemos ver também a situação da Grécia pouco antes da invasão da Macedônia, quando ela estava para desaparecer como país independente. E vimos o povo grego também envolvido nesta mesma situação – é verdade que em proporções menores do que ocorreu em Roma, porque Roma, afinal de contas, era o centro do mundo naquela época e por isso mesmo o seu descontrole foi muito maior. Assim, essas coisas todas têm que ser levadas em consideração para compreendermos o aumento do homossexualismo na Terra, vendo que não é apenas nesse aspecto que houve aumento de degenerescência moral. Há também em muitos outros aspectos, principalmente na criminologia. Esses aumentos são considerados, portanto, do ponto de vista lógico, racionais, e não qualquer coisa de sobrenatural, qualquer efeito produzido com a finalidade de castigo ou coisa semelhante. Tudo isso faz parte unicamente do processo evolutivo da humanidade.

 

Download Pergunta nº 3: Homossexualidade é pecado?

 

Locutor - Essa relação, entre pessoas do mesmo sexo é condenada pelo espiritismo como pecado gravíssimo?

 

J. Herculano Pires - Nós sabemos que atualmente existe uma tendência na psiquiatria, na psicanálise, na terapêutica psicológica em geral, uma tendência bastante alarmante no sentido de se considerar os desvios, os desequilíbrios sexuais como normais. O espiritismo não os considera assim, o espiritismo os considera como anormais. São, na verdade, desvios, desequilíbrios e, portanto, manifestações patológicas, doentias, que devem ser corrigidas. Entretanto, no espiritismo não existe pecado: o pecado, como sabemos, pertence à teologia, às várias igrejas que consideram certos atos como pecaminosos. Para nós, no espiritismo, há o erro, há o fracasso, há a queda do indivíduo, mas nesta queda ou neste erro ele tem a possibilidade de se reerguer. Por isso o espiritismo nos aconselha a encarar esses desvios da sexualidade com muita piedade para com aqueles que o sofrem, porque são criaturas que estão sujeitas a sofrerem consequências terríveis dos seus desvios. Todo desvio, neste sentido, representa uma queda brutal do homem na sensualidade animal: ele, por assim dizer, opta pela animalidade ao invés de optar ou de preferir a espiritualidade. Tendo optado pela animalidade, ele então, por sua própria vontade, por seu livre-arbítrio, se atira num verdadeiro redemoinho de ações e reações de consequências funestas que o aprisionarão no campo animal, não como uma criatura que se reencarne em animal, mas preso, como criatura humana, a sensações animalescas, até que ele consiga se desvencilhar disso. É uma luta bastante dolorosa e nós devemos encarar, portanto, as vítimas desse desvio, desse desequilíbrio no planeta, com piedade, orando por elas, vibrando por elas, mas jamais admitindo que a situação delas seja normal. Quero oferecer agora um presente de irmão: o livro “Tesouro dos Espíritas”, de Miguel Vives, da editora Edicel. Este livro o senhor poderá retirar aí mesmo em Araraquara, nos estúdios da Rádio Morada do Sol.

 

Download Pergunta nº 4: Depressão

 

Locutor - Professor, o ouvinte Osvaldo Corrente, da Rua Cacique 112, Vila Tolstoi, nos escreve dizendo ter uma doença há vinte anos, e até agora ninguém descobriu qual o mal que o aflige, pois já esteve em vários consultórios e os médicos não sabem dizer qual a sua doença. Os sintomas são: falta de ar, aflição, e diz o ouvinte já não ter mais vontade de fazer coisa alguma, pois todos os dias vai para o trabalho chorando e tem muitos pensamentos ruins. Pede, portanto, a sua orientação.

 

J. Herculano Pires - Se o senhor tivesse tido a oportunidade de visitar um médico espírita, certamente ele lhe diria o que é. O senhor está sofrendo de um processo obsessivo: são influenciações espirituais que realmente a medicina, do ponto de vista materialista, não pode observar, não pode de maneira alguma diagnosticar. Entretanto, esse processo obsessivo, o senhor pode se livrar dele facilmente, desde que o senhor procure um centro espírita bem organizado onde o seu caso seja tratado. Eu lhe aconselharia, apesar do senhor viver em local um pouco distante, eu lhe aconselharia a procurar o centro espírita Renovação, à Rua Espírita 116, no bairro do Lavapés. Esse centro espírita funciona com sessões públicas às segundas e sextas-feiras, início às 20hs. Faça o esforço de procurar este centro, é como se o senhor fosse procurar um médico para consultar ou um hospital para se submeter a um tratamento. Procure este centro na segunda-feira ou na sexta-feira, e ali, dirija-se ao presidente ou diretor dos trabalhos que lá estiver, para que possa expor o seu caso e ouvir as indicações que ele lhe fará. Ao mesmo tempo quero lhe receitar também um remédio; este remédio vai como um presente de irmão no oferecimento que lhe fazemos de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, de Allan Kardec. O senhor pode procurar esse livro em seu nome, que estará no seu nome no escritório da Rádio Mulher, à Rua Barão de Itapetininga, 46, 11ºandar, conjunto 1.111, a partir de segunda-feira.

 

Download Pergunta nº 5: Médium se sacrificando pelo atendimento

 

Locutor - Primeiramente professor, o ouvinte José Salatiel, da Avenida Francisco Matarazzo, São Paulo, nos diz que está muito feliz, pois mora em Ibaití e voltará para lá em breve, sendo que esta cidade é vizinha de Santo Antônio da Platina e, portanto, ele poderá continuar ouvindo nosso programa. Faz-nos as seguintes perguntas: é justo que um médium se entregue ao serviço do próximo sem se importar com o seu estado físico?

 

J. Herculano Pires - Não, não é justo porque, inclusive, se ele não estiver em estado físico harmonioso, ele não poderá servir à mediunidade como deve.

 

Locutor - Pergunta isso por que sua mãe era médium e passava sem comer ou dormir para atender ao público, o que a levou à morte com o passar do tempo em virtude do grande desgaste físico. Diz ainda o ouvinte que André Luís disse: devemos dar o máximo de nós. Mas então, por que Arigó só atendia com consulta marcada?

 

J. Herculano Pires - O caso da mediunidade, como todos os demais, implica a função do próprio corpo. A mediunidade, como explica a própria palavra, é um processo de intermediação; sendo assim, o espírito age através do médium, servindo-se dos recursos orgânicos do médium para prestar benefícios ao doente. Justamente por isso o médium não pode se desgastar: qualquer excesso no campo da mediunidade traz as suas consequências, os seus resultados negativos. É preciso, portanto, que o médium se cuide e, principalmente, que ele estude a mediunidade. É preciso ele saber com o que está lidando a fim de não incorrer em erros dessa natureza. O caso de Arigó não era propriamente de consulta marcada, o Arigó tinha os seus horários certos de trabalho. Durante aquele horário ele atendia aos doentes que chegavam, mas o processo de Arigó era realizado, portanto, dentro das condições espíritas necessárias, uma vez que fora daquele horário ele não atendia a ninguém. Quero oferecer-lhe como presente de irmão desse programa o livro “Iniciação Espírita”, de Allan Kardec. Este livro o senhor retirará no escritório da Rádio Mulher, de acordo com o endereço que temos dado aqui, e é um presente do programa e da editora Edicel.

 

Download Pergunta nº 6: Espírito protetor

 

Locutor - Professor, o ouvinte Alberto Bibiano, da Rua Aimberê 661, Vila Curuçá, Santo André, São Paulo, faz três perguntas: primeira, pode um espírito protetor de um médium se comunicar também com outro médium?

 

J. Herculano Pires - Sim, pode. O espírito protetor não é apenas, em geral, protetor de um determinado médium, ele pode ser protetor, desde que ele seja realmente um protetor, quer dizer, um espírito elevado em condições de proteger essas criaturas, de várias pessoas. Ele pode se comunicar por tantos médiuns quantos estejam aptos a recebê-lo.

 

Download Pergunta nº 7: Waldo Vieira

 

Locutor - Segunda pergunta, o que foi feito do médium Waldo Vieira? Gostaria de saber por que seu nome não é mais citado. Para onde ele foi?

 

J. Herculano Pires - O caso do médium Waldo Vieira é um dos pontos melindrosos do nosso Movimento Espírita, porque nós sabemos que os médiuns estão sempre sujeitos às situações difíceis, dependendo da sua própria condição, do seu comportamento e, principalmente, das suas intenções. Waldo Vieira era um médium extremamente dedicado, não só dedicado como médium, mas como espírita mesmo. Chegou a abrir em Uberaba um consultório médico gratuito – pois ele era médico – para atender a todas as pessoas que necessitassem, sem querer saber se eram pobres ou não. A sua abnegação parecia extrema, entretanto, ele tinha o direito de fazer assim. Acontece que Waldo Vieira, no desenvolvimento da sua mediunidade, que era uma mediunidade excelente, que deu frutos realmente valorosos, Waldo Vieira, entretanto, depois de uma viagem, acompanhando Chico Xavier para os Estados Unidos e a Europa, ele deixou-se levar pela fascinação do mundo que desconhecia, o mundo europeu, o mundo americano, norte-americano, e Waldo se afastou gradualmente do espiritismo. Ainda hoje ele se diz espírita, não nega a sua convicção espírita, aceita o espiritismo, mas se desviou na prática da mediunidade, de maneira que passou mesmo a não se interessar mais pelos problemas mediúnicos, no sentido de produzir obras que pudessem interessar ao público. Resolveu dedicar-se a estudos, que para ele parecem bastante importantes, embora os seus próprios guias tenham dito que ele estava se desviando do caminho traçado, do caminho necessário. É por isso que geralmente não se fala mais em Waldo Vieira, porque quando uma pessoa sofre uma queda destas, é necessário que nós o ajudemos com um bom pensamento, e não incentivemos as vibrações negativas contra ele. Já que o senhor levantou o problema, eu sou obrigado a dizer a verdade a respeito, porque este programa é um programa que busca sempre a verdade. Mas queremos pedir tanto ao senhor quanto a outros ouvintes que nos tenham escutado neste momento, que não façam vibrações negativas para este médium. Ele não se afastou do espiritismo, ele está sofrendo uma fase de perturbação espiritual, naturalmente acentuada por aquilo que aconteceu no seu passado, que nós não conhecemos. Todos nós temos as nossas situações difíceis. Acreditamos que Waldo Vieira possa se reintegrar no seu mediunato, no desenvolvimento da sua missão mediúnica, e que nós todos devemos ajudá-lo com boas vibrações, com bons pensamentos, com orações em seu favor.

 

Download Pergunta nº 8: Médium vidente

 

Locutor - Finalmente, a última pergunta do ouvinte Alberto Bibiano é a seguinte: por que o médium vidente, além de ver os espíritos, também vê outros objetos como flores, livros, chaves. Para finalizar, o ouvinte tece elogios ao nosso programa e agradece por sua resposta.

 

J. Herculano Pires - O fato de um médium vidente ver esses objetos, essas coisas, vem comprovar simplesmente aquilo que nós encontramos desde a Bíblia até aos livros espíritas. Nós sabemos que na Bíblia já se falava da cidade celeste e dos objetos que havia na cidade celeste. Ora, existe, portanto, no plano espiritual uma situação, principalmente no plano espiritual mais próximo do nosso, uma situação semelhante à da Terra: há flores, há objetos, há casas, há cidades, há tudo quanto temos aqui, embora de uma forma mais aperfeiçoada e contendo aspectos que, às vezes, nós não podemos compreender. Assim, não é só o médium vidente que vê isso, toda pessoa que tem às vezes percepções ou visões através de sonhos, ou através mesmo de momentos de êxtase ou momentos apenas de dissociação psíquica, como se costuma dizer, todas essas pessoas veem esse objetos, são objetos que existem realmente no mundo espiritual. De fato, o senhor pode constatar isso na leitura de livros espíritas: hoje diz-se muito que esses fatos estão sendo revelados através dos livros de André Luís, mas a verdade não é essa. Já desde o tempo de Kardec a Revista Espírita está cheia de fatos, de episódios mediúnicos referentes a eles e também nas próprias obras, nas obras da codificação [kardequiana], o senhor encontrará referências, particularmente no Livro dos Médiuns, no livro Céu e Inferno de Kardec, o senhor encontrará referências a essas visões de coisas, de objetos que existem de fato na vida espiritual. Para finalizar, agradecemos aos elogios que o senhor faz também ao nosso programa. E queremos oferecer-lhe um presente de irmão, o livro “Iniciação Espírita” de Allan Kardec, que o senhor poderá procurar no escritório da Rádio Mulher à Rua Barão de Itapetininga, 46, 11ºandar, conjunto 1.111, a partir de segunda-feira.

 

Download Faça as suas perguntas por carta ao programa No Limiar do Amanhã, Rua Granja Julieta, 205, travessa da Avenida Santo Amaro, em São Paulo. Faça perguntas, não relatórios. Durante a semana no horário comercial, faça as suas perguntas pelos telefones 269.4377 ou 269.6130. Aguarde as respostas pela Rádio Mulher 730khz em São Paulo, pela Rádio Morada do Sol 640khz em Araraquara, e pela Rádio Difusora Platinense 780khz em Santo Antônio da Platina, estado do Paraná. Todas as semanas neste dia e neste horário.

 

Pergunta nº 9: Espiritismo na Europa

 

Locutor - Perguntas e respostas. O ouvinte Eusébio Miari, da Rua Filipinas, Lapa, faz as seguintes perguntas: na Europa, onde o espiritismo nasceu, o espiritismo é bastante difundido ou será que é ignorado pelo europeu ocidental e o oriental?

 

J. Herculano Pires - O espiritismo é hoje mundialmente conhecido, mundialmente difundido. Como sabemos, ele nasceu não apenas na Europa. O seu primeiro sinal de nascimento, por assim dizer, foi nos Estados Unidos, foi na América. Da América é que repercutiu na Europa o fato dos fenômenos espíritas terem interessado ali a cientistas, a investigadores no tempo. De maneira que, tendo nascido assim, o espiritismo se propagou rapidamente por todo o mundo. Na França, onde houve a codificação do espiritismo, ainda hoje existem as instituições fundadas no tempo de Kardec, essas instituições continuam a divulgar a doutrina. Na Bélgica, hoje nós encontramos o centro, por assim dizer, mais disciplinado de divulgação e propaganda do espiritismo na Europa. Por quê? Porque os espíritas belgas, já desde o tempo de Kardec, revelavam grande cuidado com a doutrina, grandes interesse pela manutenção da sua pureza e, hoje, nós verificamos que na França não existe este mesmo cuidado. Então, as edições, por exemplo, que nós precisamos de livros espíritas em francês feitas lá na Europa, preferimos pedir sempre aqui no Brasil, como em outras partes do mundo, aos belgas, porque de lá os livros vêm muito melhor cuidados no tocante aos textos. Na França, nota-se hoje uma revivecência do espiritismo bem acentuada com a publicação de novos livros por estudiosos que estão se manifestando, que estão aparecendo entre os intelectuais franceses. Na Alemanha e na Inglaterra, nos demais países da Europa, existe também o mesmo interesse pelo espiritismo. Dessa maneira eu posso responder positivamente a sua pergunta e o senhor pode verificar isto por jornais e outras formas de publicação doutrinárias, principalmente o anuário espírita, que é divulgado pelo Instituto de Difusão Espírita de Araras. Este anuário espírita traz constantemente, todo ano, uma relação completa do Movimento Espírita no mundo.

 

Download Pergunta nº 10: Fome

 

Locutor - A humanidade, a cada cinco ou dez anos, cresce assustadoramente. Atualmente, mesmo com a mecanização da agricultura e fabricação de adubos, a alimentação falta para milhões de pessoas. Os cientistas estão convictos que se continuarmos nesta escala ascendente, só os mares poderão ser o último reduto alimentício do planeta. Mas a humanidade está poluindo os mares com descargas de navios, vazamentos de óleo e material atômico etc. Pergunto: teremos que parar, pensar, preparar e partir para uma tecnologia condizente com o meio ecológico do planeta, ou será que teremos um desastre de grandes proporções para a humanidade e o planeta?

 

J. Herculano Pires - As suas preocupações são justificadas, porque nós sabemos que há grande interesse em torno desses assuntos, os debates aparecem na imprensa, no rádio, na televisão, em livros que são publicados tratando desse problema. Entretanto é preciso nos lembrarmos de que o problema do aumento da população em relação com o aumento da produção de alimentos, é bastante velho, vem já desde o tempo de Malthus, e existe hoje um malthusianismo novo, que surgiu nos Estados Unidos, através do qual se pretende demonstrar que realmente nós iremos morrer de fome no planeta. O espiritismo não encara isso desta maneira; para o espiritismo a vida na Terra é regida pelos planos espirituais. Assim como Deus criou os mundos no espaço, ordenou-os e os mantém através dos milênios, através da eternidade, sempre cumprindo a sua função, assim também Deus dirige o movimento populacional nesses mundos. Já na codificação do espiritismo, encontramos afirmação dos espíritos a Kardec de que a Terra, o nosso planeta, estaria ainda destinado a possuir uma população infinitamente maior do que a que possuía no século XIX. Os espíritos afirmaram mesmo que a Terra se destina a ter uma população tão grandiosa, tão numerosa, como nós não poderíamos imaginar, e que há elementos suficientes no planeta para a alimentação de toda essa população. Na proporção em que se desenvolve a técnica, na proporção em que o homem vai aprendendo a manipular melhor os materiais existentes na própria Terra e também se servindo dos oceanos que são realmente grandes celeiros alimentícios, então o problema da produção vai superando as condições antiquadas, vencendo a distância que havia entre crescimento populacional e crescimento da produção alimentar. Hoje nós já podemos verificar isso e podemos mesmo, segundo a afirmação de vários economistas e cientistas, verificar que o que existe hoje na Terra não é a falta de produção, é a má distribuição de alimentos. Isto nós podemos ver inclusive aqui no nosso país: quando há falta de determinado gênero alimentício num país da dimensão territorial do nosso, alguma coisa deve estar errada na distribuição. É que muita produção fica abandonada nos campos por falta de condução, muita produção não chega a se efetivar por falta de recursos no tocante a adubos e outros elementos que deviam estar sobrando nos depósitos necessários para vigiarem a nossa produção. Assim, nós encontramos também em toda a Terra grandes produções abandonadas por falta de cuidado, por falta de dinheiro, por falta de interesse, por falta de administração. Por outro lado, grande quantidade de produção que não pode ser transportada por falta de meios de comunicação, de estradas acessíveis, e que se tornam caras se transportadas por outros meios. Não está havendo, portanto, uma distribuição sistemática bem organizada dos produtos alimentícios e, além disso, existem os entraves econômicos que, como nós sabemos, decorrem de proibições aduaneiras e outros problemas das relações entre os povos e entre os países. Mas tudo isso será naturalmente resolvido com o tempo e nós veremos que a Terra tem a capacidade de produção necessária para sustentar o aumento de população que está havendo. Por outro lado, é preciso notar que o aumento de população se processa de maneira cíclica. Ele não é assim como se acredita quando entramos num processo acelerado de crescimento populacional, uma espécie de rio que vai desembocar no mar. Não: ele se processa de maneira cíclica; começa este aumento de população vagarosamente, vai num crescendo, sobe até uma curva elevada e depois decai. Hoje os estudiosos do assunto já afirmam que o aumento populacional da terra entrou na curva descendente, está diminuindo, e assim será de acordo com as necessidades que são previstas no plano espiritual, de onde se rege toda a organização da Terra e da sua população.

 

Download Pergunta nº 11: Parapsicologia

 

Locutor - A parapsicologia está sendo acomodada ao materialismo, inclusive por padres. Será que não têm cientistas que estudam o caso para valer, para provar cientificamente o contrário? Agradeço desde já pelas respostas.

 

J. Herculano Pires - A parapsicologia não está se acomodando ao materialismo, pelo contrário; desde que ela nasceu até os nossos dias, que não faz muito tempo, porque ela surgiu, a parapsicologia moderna, em 1930 nos Estados Unidos, de lá para cá, num período, portanto, de um pouco mais de quarenta anos, nós já vemos que a parapsicologia venceu numerosas barreiras. Ela começou a se desenvolver como um estudo científico experimental de alguns fenômenos paranormais mais conhecidos, mais corriqueiros, como a clarividência, a telepatia, a precognição e assim por diante. Pois bem, hoje a parapsicologia já investiga as comunicações de espíritos através do que ela chama fenômenos teta: e mais do que isso, a parapsicologia já está estudando e investigando a reencarnação, o problema da reencarnação. Consequentemente, ela não está presa ao materialismo, pelo contrário: o que tem havido é o alarde de posições estranhas feitas por indivíduos que em defesa de suas posições sectárias ou se seus pensamentos particulares, sua posição individual no assunto, procuram confundir a opinião pública. Mas aí estão os livros publicados, as revistas que nos chegam constantemente do exterior, mostrando o avanço verdadeiramente espetacular da parapsicologia nestes últimos tempos. A parapsicologia hoje se apresenta no quadro das ciências como um verdadeiro endosso científico do que o espiritismo tem afirmado até hoje. Nenhum dos fenômenos espíritas foi negado pela pesquisa parapsicológica, pelo contrário: todos esses fenômenos foram confirmados. Confirmados não por teorias, mas pelo resultado das pesquisas, das investigações científicas. Eu vou lhe agradecer as suas perguntas e também a maneira por que o senhor gentilmente agradeceu às respostas que eu teria de dar, e ao mesmo tempo quero lhe fazer um presente de irmão: o livro “Parapsicologia Hoje e Amanhã”. É um livro de minha autoria, lançado pela editora Edicel. Este livro eu lhe ofereço como presente de irmão que é dado aqui pelo nosso programa e pela editora mencionada. O senhor encontrará nele tudo quanto eu lhe expliquei aqui de maneira mais completa, mais precisa, com citação de todas as fontes nas quais o senhor poderá buscar a confirmação daquilo que ali está. O senhor pode procurar este livro a partir de segunda-feira no escritório da Rádio Mulher, à Avenida Barão de Itapetininga, 46, 11ºandar, conjunto 1.111.

 

Download Pergunta nº 12: Animais deficientes

 

Locutor - Professor, o ouvinte Ricardo Urban, da Rua São Leonardo, Itaberaba, Freguesia do Ó, faz as seguintes perguntas: por que os animais nascem com defeitos físicos? Não são eles livres de expiação?

 

J. Herculano Pires - Sim, não há dúvida de que para os animais não há expiação, para os animais não há provas como para o homem. Quando falamos de provas e expiações, nós estamos falando de indivíduos que podem ser provados, testados através do desenvolvimento da sua inteligência e da sua responsabilidade. Ora, nos animais não é isto que ocorre, mas os animais nem por isso estão livres do processo evolutivo. Tudo na natureza evolui, desde o reino mineral até o reino hominal. Consequentemente, a evolução exige o seu preço, se assim podemos dizer, porque tudo quanto evolui tem de se esforçar para se desenvolver, está submetido a um processo que vai transformando o indivíduo ou a unidade submetida ao processo evolutivo. Assim, por exemplo, as plantas: por que as plantas são sujeitas também a doenças, por que elas são sujeitas a serem destruídas, devastadas pelo homem, pelos animais? Isto também poderia ser, do ponto de vista das provas, uma espécie de prova a que é submetido o próprio reino vegetal, mas não é assim: é o processo evolutivo, este processo que é por assim dizer uma espécie de lapidação do elemento espiritual dentro do material, que acarreta certas deformações ou doenças, ou sacrifícios das unidades evolutivas que são sujeitas, assim como a planta e os animais, a defeitos físicos, a maltratos, à sujeição, à própria destruição por outras criaturas. Não é, portanto, um problema de expiação. Evoluir é sujeitar-se a um processo de aprimoramento, e o processo de aprimoramento exige naturalmente a destruição de certos defeitos ou de certas imperfeições que surjam na unidade espiritual que está em progresso. Vamos dizer assim, o elemento espiritual que dá vida ao vegetal e que dá vida ao animal no seu processo evolutivo, ele revela certas deficiências no desenvolvimento das suas potencialidades que então acarretam o aparecimento de sofrimentos, de dores, porque ele é sujeito a desgastes naquele sentido. Por outro lado, é preciso notar que muitas dessas imperfeições decorrem simplesmente daquilo que os espíritos costumam chamar de as imperfeições da matéria. Se o espírito em si mesmo é perfeito, entretanto a matéria é bastante imperfeita. Daí naturalmente a ocorrência desses defeitos físicos que não têm nada a ver com as vidas anteriores, com o processo reencarnatório no mundo animal.

 

Download Pergunta nº 13: Telepatia e mediunidade

 

Locutor - A telepatia é uma espécie de mediunidade?

 

J. Herculano Pires - A telepatia é um dos aspectos da mediunidade, é uma função da mediunidade. Na mediunidade nós encontramos todos os processos chamados paranormais. Tudo aquilo que ocorre fora do plano físico, no plano espiritual, seja através de um processo mediúnico propriamente dito, no desenvolvimento de uma mediunidade em sessão espírita, ou seja, na própria condição natural do indivíduo, que desenvolve em si essas capacidades de percepção extrassensorial, de transmissão de pensamento e assim por diante, tudo isto pertence ao campo da mediunidade. Assim, a telepatia é um dos elementos da mediunidade.

 

Download Pergunta nº 14: Psicometria

 

Locutor - Professor, existe mesmo a psicometria?

 

J. Herculano Pires - Sim, a psicometria é também um aspecto da própria manifestação mediúnica, e é bastante ligada à telepatia, porque se pode também telepaticamente realizar o processo psicométrico. Este nome, psicometria, não é muito acertado. Entretanto, se tornou clássico: pela psicometria nós conseguimos ir ao passado de um objeto, ou de uma criatura, ou ir ao seu futuro. Assim, o pensamento pode seguir em direção ao futuro ou ao passado, através de um processo mediúnico de desenvolvimento das suas funções, que é chamado psicometria. Chegando a esse ponto, eu gostaria de oferecer ao senhor um presente de irmão, que é o livro de Léon Denis, intitulado o “Problema do Ser, do Destino e da Dor”, onde o senhor encontra esse problema bem colocado do ponto de vista espírita. Este livro o senhor receberá como presente de irmão do nosso programa e da editora e livraria Edigraf. O senhor pode retirar esse livro no escritório da Rádio Mulher, no endereço que já demos aqui.

 

Download Pergunta nº 15: Afastamento do perispírito

 

Locutor - O ouvinte Arnaldo Barreto de Aragão, da Rua Particular, Bairro do Limão, nos faz as seguintes perguntas: primeira, é possível o afastamento total ou parcial do meu perispírito do meu corpo físico, para um perispírito de outro corpo físico ocupar o lugar do meu?

 

J. Herculano Pires - Nessa condição que o senhor propõe, não. É possível, e é mesmo normal, o afastamento do espírito envolto no perispírito. Toda vez que nós estamos diante de um problema de desdobramento espiritual, daquilo que hoje se chama na parapsicologia de projeção do eu à distância, toda vez que estamos diante disso houve um afastamento do espírito do corpo, naturalmente envolto do seu perispírito. Esse afastamento não é total, porque o espírito continua ligado ao corpo, imantado a ele pelas suas ligações magnéticas, mas não é possível este corpo ser ocupado por outro perispírito durante essa ausência. Cada corpo está ligado a um determinado perispírito, o homem é uma unidade psicofísica, não podemos absolutamente permitir ou admitir a invasão de um corpo por outro espírito.

 

Download Pergunta nº 16: Perturbações

 

Locutor - Frequentemente ouço vozes que falam que eu já morri e, no entanto, estou no mesmo corpo físico que nasci e sinto o transe hipnótico das coisas repugnantes como fumaça, pó de cimento etc., ficarem agradáveis aos meus sentidos físicos. Sinto que isso é um atrofiamento dos sentidos físicos, pois não percebo mais as coisas agradáveis e desagradáveis. Peço, portanto, uma orientação. J. Herculano Pires - O seu problema é um problema mediúnico. O senhor tem de se interessar pelo desenvolvimento da sua mediunidade e o afastamento das influenciações que levam o senhor a sentir essas perturbações. Eu aconselharia o senhor a procurar o centro espírita Renovação, à Rua Espírita 116, no bairro do Lavapés, às segundas ou sextas-feiras com início às 20h as sessões. Ou então, se o senhor preferir, o centro espírita Pedro e Anita, à Rua Ambrosina de Macedo 194, Vila Mariana, onde o senhor teria de ir no sábado, às 16h. E ao mesmo tempo em que o senhor irá se dirigir a esses centros e conversar com os diretores, de um ou de outro desses centros, para orientarem o senhor, nós lhe daremos também um presente de irmão, o livro “Iniciação Espírita”, da editora Edicel, autoria de Allan Kardec, que o senhor retirará no escritório da Rádio Mulher.

 

Download O Evangelho do Cristo em espírito e verdade. Não se apegue à letra que mata, busque o espírito que vivifica.

 

Abrindo o Evangelho ao acaso, encontramos em Atos, no capítulo cinco, do versículo doze ao dezesseis, a seguinte passagem: faziam-se muitos milagres e prodígios entre o povo pelas mãos dos apóstolos. Todos estavam de comum acordo no pórtico de Salomão; dos outros, porém, nenhum ousava juntar-se a eles, mas o povo os engrandecia. Cada vez mais se agregavam crentes ao senhor, homens e mulheres em grande número, a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os porem em leitos e em enxergões para que ao passar Pedro ao menos a sua sombra cobrisse algum deles. Também das cidades circunvizinhas de Jerusalém afluía uma multidão trazendo enfermos e atormentados de espíritos imundos os quais eram todos curados.

 

Esse trecho do livro de Atos, dos apóstolos, é um dos momentos em que nos encontramos no Evangelho a confirmação plena da doutrina espírita. Nós vimos aqui que não só os apóstolos pelas suas mãos, como também pela sua simples aproximação, como no caso de Pedro, conseguiam produzir curas, curas que eram então consideradas como milagrosas. Vimos que nas portas do templo, os mendigos, os doentes, os necessitados chegavam a deitar-se pensando que a sombra do apóstolo Pedro ao passar por eles produzia as curas. Na verdade o que produzia as curas não podia ser a sombra, nós sabemos que a sombra não tem nenhum efeito, mas sim a presença do apóstolo com a sua mediunidade, os eflúvios mediúnicos que dele partiam para atingir aqueles doentes e socorrê-los. Assim também vemos que pessoas de cidades distantes vinham à procura dos apóstolos, trazendo criaturas que necessitavam de tratamento espiritual, para o afastamento de espíritos inferiores que os perturbavam. Na verdade todo o Evangelho está cheio de episódios desta natureza. Por toda parte nós encontramos não só Jesus expulsando os espíritos malignos que influenciavam criaturas humanas, como também os seus próprios discípulos, os seus próprios apóstolos. Há mesmo aquele episódio bastante conhecido, dos setenta apóstolos que Jesus distribuiu de dois em dois e mandou-os partir pelas cidades vizinhas a fim de realizarem as curas mediúnicas de que o povo necessitava.

 

Os fenômenos mediúnicos estão, portanto, presentes na Bíblia e nos Evangelhos, no Velho e no Novo Testamento. Mas nós sabemos que não estão somente aí, eles estão presentes em todas as escrituras sagradas de todos os povos do mundo, e estão presentes também em toda literatura profana de todos os povos. Nós podemos encontrar em toda essa literatura o testemunho constante das manifestações mediúnicas entre os diversos povos. Assim não podemos rejeitar, por exemplo, a interpretação espírita desses fenômenos no Evangelho, entendendo que essa interpretação seja especiosa ou inventada apenas para a explicação daqueles casos que parecem referir-se aos problemas espirituais. Não, porque o testemunho é universal, esses fatos sempre ocorreram entre todos os povos, em todas as latitudes da Terra, em todas as épocas da nossa evolução. Porque o espírito sempre existiu, o médium também sempre existiu como um serviçal do espírito para a distribuição aos indivíduos da vida material encarnados, a distribuição dos bens e dos poderes que o espírito podia realmente levar àqueles que necessitavam e pode atualmente continuar a fazer isso. Mas o que nos importa neste episódio, neste momento em que o encaramos aqui no final do nosso programa, é a confirmação, bastante importante para nós, que nos vem da abertura do Evangelho ao acaso e essa abertura cair precisamente num trecho em que se confirma plenamente a realidade da doutrina espírita através dos próprios textos evangélicos.

 

Por mais, portanto, que as diversas religiões procurem interpretar de outra maneira esses fenômenos, esses episódios, essas passagens escriturísticas, o espiritismo está cheio de razão, de uma razão que não é apenas baseada na interpretação dos seus adeptos, mas que decorre da própria natureza das manifestações ocorridas em todos os tempos no mundo. O espiritismo está cheio de razão ao dizer que a mediunidade é uma condição natural do homem na Terra, a mediunidade é uma faculdade humana natural; todos nós a possuímos e aqueles que conseguem desenvolvê-la pelo seu aprimoramento mediúnico, pelo desenvolvimento da sua sensibilidade e ao mesmo tempo conseguem empregá-la em favor do próximo, através da sua abnegação e, portanto, da sua evolução moral, realiza na terra hoje diante de nós, diante dos nossos olhos, aquilo que os apóstolos de Jesus realizaram no seu tempo e aquilo que os profetas bíblicos já realizavam nos tempos antigos do Velho Testamento. O espiritismo se confirma, portanto, ao contrário do que dizem os seus adversários, ele se confirma nas próprias palavras e nos próprios ensinos dos Evangelhos.

 

Estamos na era do espírito, é preciso ler livros espíritas para se esclarecer e se orientar. Participe do novo mundo que está nascendo. Aprenda a verdade sobre a vida e a morte, para não temer a vida, nem se apavorar com a morte. Ajude o novo mundo a crescer lendo a Revista Educação Espírita, que lhe mostrará as perspectivas da nova educação que está surgindo. Prepare-se para auxiliar as novas gerações a se integrarem na era do espírito.

 

Esse programa não é de propaganda religiosa, mas de esclarecimento espiritual em bases racionais e científicas. Não temos igreja, nem buscamos adeptos. Não somos pregadores, somos expositores; divulgamos a ciência do espírito na era do espírito. Nosso lema é este: cada crente com sua crença, cada descrente com sua descrença, mas a verdade ao alcance de todos. Queremos a verdade, só a verdade, nada mais que a verdade. E se você provar que está com a verdade, ficaremos com você.

 

No Limiar do Amanhã.

Style Selector

Layout Style

Predefined Colors

Background Image